segunda-feira, 19 de julho de 2010

Repouso do guerreiro - 94



Quando o Rio ganhou a disputa pra sediar os Jogos Olímpicos, Guguta já articulou comigo e com o Marcelo uma equipe pra concorrer nas ParaOlimpíadas.

Pra qualquer coisa. 

No melhor espírito do Barão de Coubertin, a idéia dele era de que a gente concorresse.  Até 2012 a gente arrumava uma aptidão com algum nível aceitável de performance.

Neste mesmo período, eu fui devagarzinho baixando meu peso com o excesso de água que eu ia eliminando na diálise, o que vem provocando a redução da quantidade do meu xixi.  Daí, Zé Augusto, meu p. n., recomendou que eu desse um descansozinho pro Valente e tomasse uns comprimidos de furosemida.  Pra você que não é da área de saúde, o furosemida é o genérico do Lasix, um poderoso diurético.

Pra você que tampouco é do ramo de esporte, foi por causa do furosemida que a Dayanne dos Santos andou banida dos esportes olímpicos.  É que ele, como efeito colateral, mascara a presença de esteróides e anabolizantes.  Quer dizer, vai que eu viro atleta olímpico, o furosemida acaba de vez com minha carreira.

Lembrei disso quando recebi um email do Alê de Guarulhos falando dos NefroRunners, um grupo de médicos nefrologistas que disputam corridas de alto desempenho.  Maratonas, triathlons, bike, etc.  Vai lá no www.nefrorunners.org que tem a história deles.

Mas a brincadeira de Guguta me deu a idéia de procurar os idealizadores do movimento aqui em Belo Horizonte[1] e ver com eles se a gente consegue montar algum programa de atividade física pra ser feita por gente que nem eu:  hemoglobina baixa, alguns quilinhos a mais, mobilidade reduzida mas disposto até o caroço a fazer alguma baguncinha.

Aí, em um segundo momento a gente lança o nefrowalkers, depois o nefrodancers, e vai por aí afora...





[1] Diz o site que são os médicos nefrologistas Augusto Cesar Soares dos Santos Junior, Geraldo Barcellos de Camargo Neto e Fernando César Menezes Assunção.  Não tenho a menos idéia de quem sejam.  Mas, com dois telefonemas a gente descobre.

12 comentários:

Digo disse...

Eu topo montar os nefro-mintons... Visando a popularização do Badminton no Brasil, que por sinal é um esporte olímpico.
Já tem uma liga fortíssima rolando em Carmo da Mata... Quem sabe a gente não cria outro pólo esportivo no Capão Queimado?

PC disse...

Mó simpatia. Considerando meu passado de badboy, o nome já conta ponto.
Vou deixar a Capão Queimado Badmington & Sports Arena armada.
Mas vou tentar organizar uma na praça JK, um domingo de manhã que eu não for no sítio.
Adorei.
Beijos

Leo disse...

convenhamos, nefro é um sufixo que soa bem ;-)

NEFROMANCER! ;-)

PC disse...

Claro, Leo.
Faz um nefroblue na gaita e eu começo meu podcast.

Adriana disse...

Adorei e farei parte do nefrowhatevergroup.
Em Capão Queimado então... tô dentro!
Beijos

PC disse...

Adriana,
A Nefrowhatever é a holding que vai englobar todas as atividades.
Vou te passando as programações específicas e você vai aderindo aos poucos.

Adoro mulheres de visão que, like this, compreendem todo o contexto.

Beijos

redatozim disse...

Ah, seu nefroblogger... por que não um trabalho social tipo o nefroreaggae?

PC disse...

Já faço.
Não sabia é que estava dando uma nefrohand pro Instituto Hartman Regueira.
Mas adorei o nome.
Nefroreggae...
Beijos

Anônimo disse...

Nao doooooo contaaaaaa ! Você nao existe !!!! Vai ser demais la longeeeee ! Kkkkkkkk Adorooooooooooo ! E tamu chegandooooooooo ah ? Mas que horas mesmo kkkkk Lu

PC disse...

Ri, boba.
A coisa já está dando certo.
Estive hoje de manhã com o tal Fernando César, que por acaso é médico lá da hemo.
Já vamos organizar a "I Volta da Praça da Liberdade", uma caminhada só pra paciente renal. Ou da Lagoa Seca. Ou da Praça JK.
Quando estiver bombando, você vai pedir pra entrar...

Anônimo disse...

Você ta achando que to gozando seu bobo to achando o maxiiiiimooooo ! E se estiver ai , to dentro da nefrodance!!! Beijaoooooooo falta so uma hora pra chegar !!!!!! Uhuhuuhuhuhu. Lu

PC disse...

Os velhinhos vão adorar ser coreografados por você, Lu.

Beijos