quarta-feira, 21 de julho de 2010

Ele é o bom! - 95



Depois desse tempo todo, Isadora, minha veia bailarina, deixou de estrelismo.  
É que, à medida que a fístula vai amadurecendo, a veia vai engrossando e fica mais fácil de ser puncionada[1].

E, no início, Isadora tinha causado uma certa apreensão em mim e na Claudinha, minha personnal nurse, quando ela resolvia não se apresentar.  Eu tomava um punhado de agulhadas e, travessa, a veia se divertia, escondendo da agulha.  Teve uma vez, uma só, mas inesquecível, que depois de doze tentativas a gente acabou não conseguindo pegar Isadora.  Exausta, Claudinha acabou me liberando e eu fui pra casa sem fazer a diálise.

Eu sei que, de uns tempos pra cá, a coisa passou a ficar batata.  Lili meio que domou Isadora e este mês Marcos aprimorou o processo e já faz tempo que a gente não perde um furo.  Acha a veia logo de primeira.

Eu estava lá, todo satisfeitinho vendo Marcos acertando todas, só cesta de 3 pontos, daquelas de deixar a torcida  extasiada.  Furava com a agulha, e pimba.  Sempre.  Comentei com ele da minha satisfação vendo que a coisa finalmente tinha entrado nos eixos e de como meu sofrimento era coisa do passado.

É preciso que se diga que Marcos, do alto de seus quase dois metros de altura, não perde a oportunidade de pegar no meu pé.  Sempre que eu ganho mais peso que o razoável, ele briga comigo igual mamãe fazia quando eu tinha 6 anos.  Fatinha, minha vizinha de box, racha de rir, me vendo humilde, com medo dele.

Mas aí, mantendo sua elegância, do mesmo porte que seu deboche, Marcos fala comigo:
-  Sabe o que é, seu Paulo, é que eu sou muito bom no meu trabalho.

Eu e Fatinha começamos a cantar o antigo sucesso do Eduardo Araújo, aquela do “meu carro é vermelho”.

Naquele dia, Marcos só olhava superior pra mim e pra Fatinha, se achando...



[1] Hoje eu estou técnico demais.  Mas segundo a Dra Denise Costa Dias, (http://www.unioeste.br/projetos/terapiaintravenosa/pdf/3.pdf ) que eu conheci hoje na internet, antes de puncionar, a pele deve ser puxada abaixo do local da inserção, para fixar a pele e prevenir que a veia “dance”, ou seja, que se mova.  O ângulo para a punção é de 15 a 30º.

4 comentários:

Tiago Cruz disse...

Um pouco de cultura inútil em meio a tanta técnica.
A maioria canta essa música dizendo "meu carro é vermelho, NÃO uso espelho pra me pentear..."
Quando o correto é "meu carro é vermelho, SÓ uso espelho pra me pentear".
A explicação é simples: boy que era boy, não usava o retrovisor. Então, só usava o espelho pra se pentear.
Pronto. Depois dessa você está mais leve e a vida está fazendo mais sentido, né não?
Abs,
Tiago.

PC disse...

Você entendeu a essência do blog, Tiago.
Só bobagem.
E você acredita que não tem UMA gravação ao vivo no youtube? Só slide show?
Aí não embedei...
Beijos

Polly disse...

Que bom q Isadora agora está comportadinha.. Acredito q ela tem uma certa empatia por mim né mesmo PC?

Polly
tua personal nurse number two..

PC disse...

Atenção todo mundo: no dia que vocês precisarem de personnal nurse, a Polly é o canal.
Não erra uma. Mão leve como nunca vi igual.
E ainda foi campeã de voley.