quarta-feira, 6 de julho de 2011

Mãos de seda - 169



É capaz de você achar que é psicológico.  Todo dia que minha punção é com a Aniele, minha personal nursing technician, a coisa é a mais concreta que se possa imaginar.

Eu já reclamei algumas vezes que a única coisa que me abala desde que eu comecei a hemodiálise hidroginástica é a punção.  Principalmente depois que, preocupado em melhorar minha diálise, Zéaugusto inventou de recomendar as agulhas de calibre 15.  Não fosse eu ter aprendido com Tomás a enfrentar adversidades desta monta, eu estaria morrendo a cada sessão.

Ocorre que, não faço a menor idéia, tem gente com quem a experiência de ser puncionado dói mais.  Ou menos.  Assim, gratuito.  E como eu sou um cagão de marca maior, a coisa funciona mais ou menos como cadeira de dentista.  EU SEI QUE VAI DOER!
E começo a sofrer antes do suplício começar.

Menos quando a coisa fica por conta da Aniele.

Já aconteceu de eu sentar na cadeira, me preparar pra receber a porrada e, antes de eu sentir a picada, por menor que seja, ela já está fixando o tubinho com o esparadrapo.
Sem eu sentir nada.  Mas nada mesmo.  Programa Dor Zero.

Minha curiosidade maior é se é ela que tem algum poder sinestésico ou sou eu que deposito uma confiança absoluta nela. 
No duro que eu tinha vontade de entender se existe alguma explicação pra um fenômeno desses.  Eu sei é que a gente faz uma dupla e tanto.


Em tempo:  tinha esquecido.  Mas quem leu esta história aqui achou que a resenha do elefante, que antecede este post, era absolutamente previsível.


16 comentários:

Paulinho Saturnino Figueiredo disse...

Dona Gêisa deve ter muito boa vontade pra ficar ouvindo e, pior, acreditando em certas histórias. Mão de seda, né? Tá bom!!! Como é mesmo a cascata? Poder sinestésico? Nunca vi tais encantos num Zé Geraldo ou num Rodrigão.

PC disse...

E você não acredita o tanto que a Aniele é docinha, xará.
Encantadora...
Tivesse eu 40 anos a menos, pulava com os dois pés na medalhinha de Santa Eudóxia...

Mariza disse...

Oi Moço,
Bom dia!!!
Aniele docinha né? Sei....
Mas estou eu aqui a reclamar às 7:47 da manhã,estou exportando o seu livro
para a Ity(Itambacuri)para o meu irmão Bá, quando percebo que você não autografou ele.
Como vou mostrar aos amigos, que sou íntima do escritor mais interessante dos últimos tempos?
Sacanagem viu moço.
Tá me devendo esta.
Bjs

Leo disse...

além do post bacana, fico impressionado com a sua capacidade de achar quadrinhos condizentes ;-)

fica a dúvida: já aconteceu de vc bater o olho num quadrinho e daí ter idéia para um post?

PC disse...

E eu aí, doido pra espalhar pro mundo que sou chegado no povo do Mateus e você me esnoba.
Magoei, Marizoca.

PC disse...

O tempo todo é assim, Leo.
Tem vez que eu penso no post e vou atrás do quadrinho.
Tem vez que eu olho o quadrinho e dá um post.
O da minha briga com a Trip foi assim. Tava lendo e vi a canoa. Pensei: era melhor ir de canoa que passar este susto...
A vantagem é que eu tenho 14 albuns grandões com as histórias do Hal Foster.

Renata Feldman disse...

Vai ver que ela é fada e você não sabe, PC.
Ah, me faz um favor: diga ao pessoal da hidroginástica que, a partir de hoje, a Aniele será SEMPRE a sua personal nursing technician, ok?
Tudo combinado.
Bjs

PC disse...

Já falei com ela que ela é uma bruxinha, Renata.

Lü Sielskis disse...

Mãos de fada ou não...na dúvida fico com o PODER da EMLA, uma pomada criada para o programa DOR ZERO!E pronto...pode vir qualquer calibre, eu aguento....kakakaakakakakaa

Beijooo¨*

PC disse...

Que EMLA é esta, Lu?
Compra em farmácia?

mario ribeiro disse...

Paulo:
Vou falar um absurdo, desses de você me excomungar como se falava em São Vicente e em Guanhães: internet é sensacional e você domina isto com o seu brilhantismo acadêmico pós-moderno, mas acho que você tem de fazer uma coisa sempre avançada no tempo que é reuniir tudo e editar a Saga em livro.
O comentário serve também para acabar com essa mentira que você espalha que eu não te leio.
Mário

PC disse...

Tá vendo? Você não lê, Mário.
Já tem dois impressos e o terceiro deve acabar daqui a um mês, mais ou menos...

Laura Martins disse...

Olá, rapaz!

Como eu falei (melhor: ensaiei uma fala!) pra vc no Facebook, esse tipo de situação já aconteceu comigo "n" vezes... Exemplos:

- Tenho um amigo enfermeiro que aplica injeções que não doem. Mas que doem quando tomo com outras pessoas...

- Uma vez tive uma grave disfunção de ATM e urrava de dor. Precisava ser carregada no colo para qualquer lugar, pois movimentos mais bruscos faziam com que a dor aumentasse sem medidas. Nenhum medicamento funcionava e mal conseguia me alimentar, mesmo com papinha. Pois bem: me indicaram um cirurgião bucomaxilofacial. Quando ele se aproximou e pediu para eu abrir a boca (tipo assim: aahhhnnnnnn), pensei: "Vc está brincando... Como vou conseguir fazer isso?" Pois abri a boca com vontade, sem doer NADA! Ele mexeu, fuçou, e nada de doer! Fiquei desmoralizada! Mas, saindo de lá, a dona dor deu as caras de novo...

- Não deixo ninguém tocar em meus olhos. Dou um mega trabalho para fazer exame de vista, desde criança. Dou chilique pra pingar colírio, não deixo fazer o exame de pressão ocular, e por aí vai. Também não deixo ninguém passar lápis ou rímel em meu olho. Aí, um belo dia, eis que uma amiga esteticista inventou de me fazer uma maquiagem "mais simples". Quando dei por mim, lá estava ela passando lápis, rímel, diabo a quatro, e não fiz nada! Não fiquei com medo, não dei ataque nervoso...

Tenho vários outros casos (com dentista, por exemplo), mas dá pra ficar por aqui.

Por que esse tipo de coisa acontece? Creio que isso se deva a uma conjunção de fatores, mas, pelo menos no meu caso (não tenho estatísticas!), acho que essas pessoas que citei têm em comum o fato de não serem invasivas nem ansiosas. Porque pessoas invasivas me fazem querer mudar de calçada quando deparo com elas. Me dão dor psíquica... E pessoas ansiosas me fazem sentir dor sem tocar em mim, pois já sou ansiosa o suficiente...

É isso!

Beijos nem ansiosos, nem invasivos!!

Laura
http://cadeiravoadora.blogspot.com/

PC disse...

Pois é, Laura.
É que eu acho que cabe uma investigação neste terreno, um pouco mais científica do que a resposta simples de que é confiança, é psicológico, essas coisas.
Minha hipótese é que a coisa é bem mais séria do que parece.

Ives disse...

PC,

Até hj rezo para minha Rose, a única que sabia muito bem me puncionar. Quantas vezes, em suas férias me furaram 5,6,7 vezes e nada.... Fizeram nova fistula e nada...dureza sô.

PC disse...

Tem explicação não, Ives. É coisa de bruxa.
Com elas, é doce. Vem outra pessoa, é um desacerto...

ps: Tamos precisando trabalhar, velho. Bora?