terça-feira, 31 de maio de 2011

Transgressão - 165



Eu viro um menininho de dez anos, tem hora.
É que quando a úlcera da minha canela fechou, as terminações nervosas se reconectaram e, bacana, o trem coça como não sei o que.  Desesperadamente.  Leco, meu personal oncologist havia me previnido.

Uma vez eu estava no Meu Sítio, a ferida quase fechando, e não resisti.  Fiz com a mão como se fosse uma carícia em volta do local.  Depois passei a unha com a maior suavidade possível.  E, ato contínuo, eu tinha caído na pegadinha.  Coçava, feito um desesperado.  Aí, é claro, foi tudo por água abaixo...

Como você possui um conhecimento só de ouvir falar, é capaz de estar pensando assim:
-  Mas se sabe que não pode, então por que coça?
Oh, meu Deus, explica pra esta pessoa o que é desespero.  Só assim ela vai entender.  A coisa é insuportável!

Depois dá o maior baixo astral, eu querendo saber onde estava com a cabeça, pra coçar logo o pedacinho em recuperação. 
Mas fissura é isto. 
Eu não conseguia pensar em outra coisa.

Devo ter feito isto umas quatro vezes, nestes 5 meses que minha ferida não cicatrizava direito. 
E tirar a casquinha, então?  Uma delícia...
Mas muito caro, diga-se.

Agora no final, descobri um macete que foi maravilhoso.  Na hora em que a vontade de coçar vem irrefreável, eu cubro a ferida com esparadrapo microporo, daqueles largões, pra proteger a pele com-ple-ta-men-te.  Aí, coça suavemente em cima do microporo.

A sensação é de estar fazendo uma coisa errada, sem chance de ser pego por seus detratores.  Maravilha.
Ando adotando este estratagema preventivamente.  Quando dá muita vontade, meto o microporo e dou a coçadinha.

É melhor que comer doce de leite quando se está de regime...

 

16 comentários:

Leo disse...

Teresa e Lud são bastante alérgicas. A perna das duas são antros de coceira.

Eis que a gente descobriu que tem uma pomada que vem num... rolo de papel contact! Vc aplica aquela coisa e ainda pode coçar em cima!

Mas pelo jeito vc descobriu, à sua maneira, as maravilhas do micropore ;-)

Anônimo disse...

Há muito tempo venho tentando te ensinar como é que se instala uma dessas molas de porta aí do seu apto.
Pois é ! ! !

PC disse...

Manda o nome desta versão polaramine de microporo,Léo.
Põe na roda...

PC disse...

Eu não entendo,,,
Aí, emburro, Diamantino.
Eu sou uma anta1

Anônimo disse...

E o Hidekazu Nakanami, será que ele não pode te ajudar nessa? vou procurar saber para voce.Voce não lembra do ditado, comer e coçar é só começar.Beijos Patricia

PC disse...

A coisa é efeito colateral do Sutent, Cinha.
Não tem nenhuma ligação com circulação. Mas ficava o tempo todo mexendo os pezinhos, igual ele mandou.
Agora já tá lindo. Nadei a tarde toda com o Tomás.
Sábado tem NefroGafieira de novo.

Tiago Cruz disse...

A solução do microporo é perfeita.
Eu, por exemplo, arranjei um microporo mental e continuo fumando tranquilo e sossegado...
Abs.

Eduardo HFR disse...

Paulo,

bom dia.

Minha amiga Rachel(Nutricionista do HFR) e eu criamos o site Dialise Viva, com o intuito de informar sobre a insuficiência renal e assuntos correlatos, alem de interagir com as pessoas através do site e de emails...

Gostaria que você desse sugestões para nós e também nos ajudasse a divulgar o site:

www.dialiseviva.com.br

um abraço

Eduardo - Felicio Rocho

PC disse...

Larga esta vida, Tiago.
Seu microporo mental é um cigarro eletrônico que eu vi rodando aí.
Você liga, solta fumaça e jura que tá fumando.

PC disse...

Vou fuçar ele esta noite, Eduardo.
Abração.

Leo disse...

drenison oclusivo que chama

PC disse...

Olhaê, Eduardo.
Beleza de dica do Leo para o dialiseviva.
Grato, Shikida

Eduardo HFR disse...

Paulo,

esta dica do Leo (drenison oclusivo que chama) é para a lesão de pele?
Não entendi bem como seria uma dica para o dialise viva...
Me explica aí.

att,

eduardo

PC disse...

Por exemplo.
Eu perdi o rim por causa de um câncer, cujo remédio (no meu caso) era poderoso mas forte também no efeito colateral. Em mim, foi a úlcera na canela. O dernison me ajuda aí.
Outro exemplo.
Até eu entender a relação do quelante de cálcio com proteína animal, tive crises horrorosas de coceira que eu sobrevivi com quantidades industriais de Polaramine. Eu coçava até ferir também. Depois que administrei a minha relação com o quelante de cálcio foi mole. Mas até lá era ruim pra danar.
Pensei nestes dois exemplos. Veja aí com sua personal nutricionist se ela enxerga outros.
Abraço

Eduardo HFR disse...

Paulo,

entendi as dicas.

O que voce achou do site?

att

eduardo

PC disse...

Outro dia eu falei em um post (no ABC do paciente renal - 162)do blog VIDA REnAL, da Luciana Cintra Sielskis.
Vocês estão prestando um serviço da maior importância, orientando a gente, Eduardo.
Agora, coloca em rede social, abre grupo de discussão, senão muita gente não tem notícia do projeto.
Acho que falta só botar a boca no trombone.
Abraço.