quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Sonhos - 148



Esta semana eu andei ganhando de presente umas oportunidades boas pra refletir um bocado.
Primeiro foi Maurilo, que contou uma história no blog sobre dois náufragos, no meio do mar, que viram um barco lááááá longe e um falou pro outro:
- Aguente firme e não perca o barco de vista. É só o que dá pra fazer.

Depois foi no blog da Márcia Cabrita, quando ela põe as coisas no seu devido lugar e fala da felicidade de ter labirintite, depois de estar buscando a cura pra um câncer que andava querendo tirar ela, definitivamente, dos palcos.  Márcia brinca, falando do quanto deve ser bom ter 40º de febre.  Na roça a gente fala: 
-  O que é um peido pra quem já está todo cagado...

Depois foi Binha, que eu redescobri dia destes no mais absoluto acaso quando eu anda pirulitando por aí, que me mandou um vídeo[1] sobre uns velhinhos, no final da vida, que tinham tudo pra ficar em casa, reclamando das coisas, e resolveram chutar o balde.

Acho que estas três histórias falam sobre sonhos, que, no final das contas, é o que nos mantem a todos, você e eu, vivos e cheios de vontade de ver amanhã chegando.
 


[1] Acho que é propaganda de um banco.  Se eu fosse só um dedinho mais competente nessas mágicas de computador, tirava a assinatura e o vídeo virava uma poesia.


13 comentários:

Leo disse...

Lá em casa tem um livro bem legal do Eduardo Galeano. "As Palavras Andantes".

nele tem isso aqui

JANELA SOBRE A UTOPIA
Ela está no horizonte - diz Fernando Birri. - Me aproximo dois passos, ela se afasta dois passos. Caminho dez passos e o horizonte corre dez passos. Por mais que eu caminhe, jamais a alcançarei. Para que serve a utopia? Serve para isso: para caminhar.

PC disse...

Graças a Deus que ela existe, Léo

Paulinho Saturnino Figueiredo disse...

Xará, vejo que ainda não te contaram: você é uma utopia.

PC disse...

Somos nós, lindão.

Renata Feldman disse...

Coisa mais linda esse vídeo, PC!... Me lembrou um filme japonês maravilhoso, "A Partida", vencedor do Oscar como filme estrangeiro no ano passado. Vale a pena se emocionar com ele.
Beijos

PC disse...

Tô indo buscar na locadora, Renata
obrigado pela dica

Anônimo disse...

O filme é MARAVILHOSO!!!!

Anônimo disse...

Chorei até no filme.

Já que estamos no tempo do reinado de Momo, vale relembrar: "Sonhar não custa nada, não se paga pra sonhar..."

Bjs
Régi

Ps: Continuo anônima (se é que tem jeito) pra facilitar minha vida

PC disse...

Acho que você, mesmo anônima, conhece o Binha, Régi.
Mas eu adoro o delírio dos náufragos também

gracinda disse...

Paulinho querido, participei outro dia de uma dinâmica, que era mais ou menos assim: se eu fosse um instrumento musical o que eu seria, se eu fosse um meil de transporte o eu seria...e assim vai, as pessoas sempre perguntando para uma outra, e recebendo de uma forma linda os retornos mais delirantes possíveis. E se me perguntassem se eu fosse um orgão do corpo humano o que eu seria, eu responderia: os rins, e estaria sinceramente disponível para você, pois seria os rins mais felizes deste unirverso, pois teria o seu coração me comandando...Você é genial. Amo tudo que escreve por aqui. Obrigada pela sua existência cada dia melhor. Por isto cada dia mais entendo porque o Diogo é este amor de menino, que é. Beijos. Gracinda

Márcia disse...

Que coisa linda que a Gracinda escreveu prá vc!!! Tem muita gente que compartilha este sentimento. Beijo.

PC disse...

Vou procurar com meu nefrologista se é possível um rim verter mel.
Aí eu acredito, Gracinda.
Beijos

PC disse...

Não adianta, Márcia.
Ela levanta minha bola, mas sempre termina falando no Diogo.
Aí, você me conhece, eu morro de ciúmes...