segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Edição Extraordinária 37 - Sakana



Outro dia. Maurilo me manda um recado pelo facebook. Meio enigmático, me diz:  “Acho que vc vai gostar desse blog. É uma peça rara que eu conheci via pastelzinho”.

É, de longe a pessoa mais mal humorada e ácida do mundo.  Mimada até não poder mais.  Ou seja, encantadora.  Resumindo: apesar das ameaças expressas no blog que ninguém tentasse seduzir a japa, caí de quatro, apaixonado.

Sakana-san é publicitária e está na fila de um transplante duplo.  Rins e pâncreas.  Trinta e poucos anos e a-do-ra comprar briga.  Espalha pro mundo que é mimada e maneja palavras, desvio profissional, com uma precisão que acaba se divertindo com o impacto que as falas dela provocam no interlocutor.

Acho superengraçado o jeito que se recusa a criar laços com o povo da diálise dela.  Eu me vi entrando no primeiro dia da diálise do jeito que ela descreveu.  Todo mundo querendo puxar assunto com a nova colega de infortúnio e ela desfilando, como se não tivesse ninguém na sala.  Travava nem contato visual.
Só que comigo foi o contrário.  Eu, em pânico, doido pra encontrar alguém que me contasse o que era aquilo.
Diz ela que não queria criar laço  com ninguém, que ela não queria sofrer quando perdesse.
Aí me lembrei do Geraldo Doido e da Dona Índia, que morreram depois que entrei na hemo.  Mas que adorei ter conhecido.

O mais legal é que Sakana-san vai desvelando sua doçura aos poucos.  Não é aquela coisa desavergonhada a que eu recorro com frequência.  Diz ela que precisa ser conquistada.

Comecei a ver isto mais claramente quando ela fala do seu Nagibe, um turcão, suponho eu, que deve achar que ninguém percebe o cabelo pintado.  Falei com ela no comments:  Dançou.  Ficou amiga dele...

Neste momento estou vivendo em lua de mel.  É que ela não sabe anexar vídeos no blog e olha pra mim como se eu fosse o Bill Gates, porque Lisa minha filha me passou o canal.  Fui fazer bonito e anexar pra ela.  Dancei...

Azeda, ela entrou contra mim no Procon, por publicidade enganosa.  Como ela é louca com John Pizzarelli, eu, que não perco esta mania de me exibir, vou tentar fazer bonito aqui...


14 comentários:

Leo disse...

John Pizzarelli e Cole Porter é tudibom

PC disse...

Fora que ela é você escrito.
Lembrei você chegando na sala, limitando sua participação a um leve acenar de cabeça...
Até ouvir sua voz, foi tora. ;)))

mariza disse...

PC,
Querido o seu blog já é prá lá de bom.
Com estas indicações então???
E esta Japa?
Que interessante!!!
Beijinho

PC disse...

Ela é um doce, Mariza.
Falsa...
Está fingindo que nem leu ainda...

Sakana-san disse...

PC... Não sei o que dizer... Vou reler o post...

Sakana-san disse...

... e ouvir a música novamente.

Sakana-san disse...

PC, eu estava escrevendo um post sobre zilhões de coisas: sobre como a ajuda e a solidariedade brotam de onde menos esperamos, sobre o velho Buk, o Ian Curtis e sobre como o Pizzarelli me fazem bem (de novo!), sobre como eu conheci o meu marido, sobre um novo diálogo engraçado e cínico que travei novamente com o meu nefro e... Não resisti e acabei vindo aqui no seu blog atraída pelo seu comentário. E eu fico sinceramente feliz, surpresa e emocionada ao ler um post de um cara que não me conhece pessoalmente, mas, que conseguiu através das minhas palavras dissimuladas de acidez compreender parte da minha alma atormentada. Sim, porque eu sou um ser atormentado e o blog ajuda a aliviar toda essa tensão que eu carrego dentro de mim. Em geral, eu estou acostumada com as pessoas me achincalhando, porque são incapazes de ler (e entender) o que está escrito nas entrelinhas. Pessoalmente, também me habituei às pauladas da vida e, confesso, me divirto em mexer com certos tabus e dogmas da natureza humana. “In fine e in fondo” quero apenas provocar pensamentos nas pessoas. Quero apenas que elas, assim como eu, reflitam um pouco sobre certos assuntos e aspectos. Concordem ou discordem, que pensem. Por trás desta casca de ferida grotesca e feia, há uma mulher cheia de bons (e alguns maus) sentimentos, que adora prosear, fazer amizade e se derrete pelo sorriso de uma criança. Meu mau humor é minha proteção. Meus textos são instrumento para eu conseguir estabelecer uma comunicação com o mundo exterior, se não eu seria uma autista ou só conversaria com os bichos. Virtualmente sou melhor. Todos somos. Obrigada pelo post. Grata por tentar me decodificar. Você tem o meu respeito e minha amizade. Beijo na alma.

PC disse...

Desiste, menina.
Você é um doce.
Fazer o que?

PC disse...

Aliás, beijo na alma o cacete.
Eu quero é sexo!!!

Sakana-san disse...

Ahahahah! Sexo? Bem, vou responder o mesmo que eu falo para o enfermeiro lá da clínica: "- Vai ter que entrar num acordo com o meu marido!" Eu e Platão optamos por sermos monogâmicos. Pelo menos até o momento está combinado assim. :P

PC disse...

Ueeeebaaaaaa!
Até o momento significa disposição pra entrar em acordo...

PC disse...

E sabe o que mais?
Como é que você consegue digitar uma caceta de texto deste tamanho só com uma das mãos, enquanto a outra está puncionada, com agulhas de bitola XXL?

Sakana-san disse...

Eu uso catéter, minha fístula, a Inês, está morta. Escrevo a mão meus posts e depois eu coloco desordenadamente no blog, quando vou para alguma lah house ou para a casa dos meus pais. Bjo! No coração.

PC disse...

Bah... Iniciantes!!!
Inês é morta é lindo rsrsrs