quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Meus caseiros II - 112

  

O outro é o Seu Adílio.  Tomás adora ele.  Os dois se chamam por Nego Duro.

Seu Adílio é mais mineiro, mais dissimulado que seu Antônio.  Nunca diz, na lata, o que quer.  A gente tem que tentar decifrar o que está por trás das falas dele.

Outro dia, a Clotilde, a javaporca do Meu Sítio, pariu.  Ele liga pra Gêisa e fala:
-  A senhora não vai nem acreditar...
Gêisa, que estava esperando a notícia do parto, insistiu, perguntando quantos porquinhos haviam nascido.
E seu Adílio, inabalável:
-  A senhora não vai nem acreditar...

O rumo da prosa manteve-se inalterado, até a hora em que a gente estacionava o carro no Meu Sítio.  Seu Adílio lá, em pé ao lado da pocilga, repetindo orgulhoso enquanto Gêisa contava os nove bacurinhos que haviam nascido:
-  A senhora não vai nem acreditar...

Seu Adílio é um relógio.  Como ele mora em Cachoeira da Prata, chega todo dia às oito horas e sai às quatro e no domingo sai ao meio dia.  Só que, pra nós da cidade, quatro horas é a hora em que sai o almoço.  Bicão, seu Adílio sempre agradece quando Gêisa chama ele pra tomar o café da manhã conosco.  Hesita um pouco e emenda, logo em seguida, sua ladainha preferida:
-  Então me dá só uma provinha...

O auge dele foi uma vez que nós matamos uns três porcos e Gêisa passou o final de semana na maior animação, preparando carne de panela pra nós.  Foi dando a hora de ir embora e seu Adílio rondando por ali, inventando desculpa pra atrasar o caminho de casa.

-  Cheirando bão! escuto ele falando.  Não entendi direito o comentário e ele repete:
-  Cheirando bão!

Era a senha dele, dizendo que gostaria de provar a suã que cozinhava no fogão de lenha.

Seu Adílio é meu mestre de delicadeza.  Sempre fala o que quer.   Mas sempre do seu jeito cuidadoso, pra não ultrapassar o limite.  E, claro, pra nunca ter um não como resposta.  Acabei incorporando isto na minha vida.

-  Cheirando bão!, digo eu toda vez que quero invadir a cozinha pra pegar uma prova do que Gêisa prepara o almoço.



2 comentários:

Ives disse...

Seu Adílio que me aguarde. É só vc falar que vou dar uma mãozinha prá Dona Gêisa. Agora uma suã é covardia...e o tanto que é bão.

PC disse...

Cheirando bão, Ives.
Vou marcar com Dona Gêisa e te falo.
Beijos