quarta-feira, 14 de março de 2012

Surpresa!



Já fazem quase dois anos quando eu me dei conta de uma série de ganhos que a doença busca pela cura[1] havia me proporcionado.  Uma das coisas que eu mais achava legal era não mais precisar chegar em casa em desabalada carreira, com o xixi já ameaçando descer pelas pernas abaixo, eu ainda no elevador.

Valente, contido, têm se manifestado não mais que 3 vezes por dia.  Quando eu acordo, depois do almoço e quase na hora de deitar.  Sendo que eu fico com o direito de negociar com ele, às vezes um pouquinho mais pra cá, às vezes um pouquinho mais pra lá.  Mas nunca muito fora desse padrão.

Ontem fui almoçar na mamãe.  Ficamos de trelelê um tempão.  Esqueci da vida.  E voltei pra casa de ônibus que, por sorte, mesmo no meio da greve, não demoraram a aparecer.

Mas não é que, a dois quarteirões de casa, bateu aquela vontade incontrolável.  Meio desacostumado, nem me apavorei.  Tentei não pensar em cachoeira, em chuva, em torneira aberta.  Vai dar, pensei, quase arrogante.  E a cada passo a situação ia piorando.  Foi só abrir o portão do prédio, senti um calorzinho desconfortante nas pernas.  Quando entrei no elevador, ainda bem que sozinho, a risca na calça mostrava, indiscutivelmente, a volta aos velhos tempos.   Não dera pra chegar em casa.

Pois é.  Veja você o que são as referências.  Pra quem vive dizendo que quase não faz xixi, eu fiquei foi todo orgulhoso com o desempenho do Valente.  Mijado, mas todo orgulhoso...






[1]  A dica é da Toninha.  O câncer já ficou lá pra trás.  Doença, diz ela, é palavra proibida.  Agora, o que anda me instigando é a consolidação da cura.

14 comentários:

Paulinho Saturnino Figueiredo disse...

Valente é gente fina. Sacana fosse, induziria o nobre amigo a passar por tal gozosa experiência numa gélida noite de inverno.

Anônimo disse...

Pagava caro pra tá na rua com vc.. e ai de vc se me chamasse de D.Geisa!!!! Chamasse não! Pq, aquele dia vc me xingou de D.Geisa...kkk bjs
Valéria Hudson

PC disse...

E neste dia não estava nem chovendo, Paulinho.
Também depois, me derramei de felicidade.

PC disse...

Você não tem um pingo de solidariedade, Miss Hudson.
Só quer rir de mim...

Flávia Coelho disse...

kkkkkkkkkkkkkk só mesmo vc kkkkkkkkkkkk bjs

Nando disse...

Oh mijão! Que vergonha! Depois de velho! Segura peãooooooooo!

PC disse...

Vocês têm que olhar o contexto, Nando e Flavinha.
Significa que Valente anda trabalhando bem.
Sob este ponto de vista, o ocorrido foi o maior su-su-su-su-ces-so.

Beijo

Adriana disse...

Sério??????????

Adriana disse...

E o tanto que esse vídeo é engraçado?

PC disse...

Sério, Adríola.
O Valente bombou, se é que você me entende...
Igual o menininho do vídeo, uai...

Anacris disse...

Mó mijão esse Paulinho e cada mijada é uma festa, mó legal.

PC disse...

Mó jeito de me tripudiar, AnaC.
Sorte sua que eu não tenho um pingo de vergonha na cara.
Já de xixi, tenho mó quantidade de pingo.
Beijo

Dudu Menicucci disse...

Gordinho,

Esquenta não. Sendo metido (ou seja, igual você, sem modéstia), certa feita Samamba Linda inventou de passar o reveillón em NY, e vendo a bendita "the fucking ball" (como dizem os barackitos). Chegamos lá às 21 horas e saímos às 00:01 (frio de -18 graus). Eu estava que não aguentava mais ver a p. do ano novo chegar, de tão apertado. Foi ele chegar, e eu mijar, nas calças, na rua mesmo.....

PC disse...

Sabia que a gente tinha algo mais em comum, Dudu!